Afinal, Colo demais estraga? - por dra Roberta Lima (28/04/15)


O que mãe de bebê mais ouve é "pitaco", né?! O que fazer, como fazer, em que momento... Sempre tem alguem por perto para dar uma opinião sobre qualquer assunto! 

Uma discussão que eu ouvia muito, especialmente entre mães de primeira viagem era sobre dar muito colo para o bebê: será que realmente deixa a criança mimada, dependente, incapaz de lidar com frustrações?

Esse é o tema de hoje desenvolvido pela nossa colaboradora Dra Roberta Lima. 

Afinal, colo demais estraga?

 



Apesar da gestação levar 9 meses, o que para uns pode parecer muito tempo, ainda assim o bebê nasce extremamente imaturo o que o coloca numa condição de TOTAL dependência para que as suas necessidades sejam atendidas. E justamente por esse motivo não vejo sentido em querer apressar o passo e fazer com que o neném alcance sua independência de forma precoce, afinal ele ainda não estará com o seu processo maturacional apto para ser independente.

 



Porém, mesmo assim, existem algumas vertentes de pensamento que acreditam, por exemplo, que colo demais estraga o bebê porque ele fica "mal acostumado" ou porque atrapalha o seu desenvolvimento deixando-o muito dependente da mãe. Há também quem defenda, incluindo diversos profissionais da infância, a ideia de que a mãe deve esperar alguns minutinhos propositadamente antes de pegar no colo o seu bebezinho que está chorando para acalmá-lo, alegando que essa seria uma boa estratégia de ajudá-lo a aprender a lidar com a frustração o quanto antes. À princípio, esse raciocínio pode até fazer algum sentido, mas cai por terra quando descobrimos que o bebê não tem maturidade para "entender" a ausência da mãe ou de seu cuidador e que se ele finalmente pára de chorar por não ter sido atendido pelo adulto, não é porque está aprendendo a lidar com a frustração, mas sim porquesimplesmente desistiu de pedir ajuda e, se isso, for uma constante na rotina do pequenino, poderá até mesmo levá-lo a um estado depressivo, pois todas essas ausências forçadas, que eram pra serem supridas com um colo, sãovivenciadas pelo neném como uma sensação de desamparo e abandono.


Então é preciso refletir e perceber que o bebê, à medida que for progredindo na sua maturação, ou seja, ao passo que vai conquistando suas habilidades motoras de ficar sentadinho, depois engatinhar, ficar em pé e andar, por exemplo, terá tempo suficiente, toda uma infância pela frente, para conquistar sua independência e treinar sua tolerância diante das frustrações. Até lá, o coloprecisa ser algo natural e espontâneo que vai atender a demanda do bebê o qual necessita sentir-se seguro, protegido e amado. Além disso, é através desse abrigo físico que o pequenino encontrará ótimas possibilidades de coordenar suas experiências motoras e sensoriais.



Roberta Lima 
Fonoaudióloga & Terapeuta infantil especialista em Psicotrauma e Psicossomática Junguiana.
Instagram: @terapiadacrianca


 

 

Tópico: Afinal, Colo demais estraga? - por dra Roberta Lima (28/04/15)

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!